quinta-feira, 8 de novembro de 2012

:: UP :: MODA, INTERNET, BLOG, STREET SYLE...



Moda é minha paixão faz tempo, muito tempo. Diz minha mãe que meu passatempo preferido era passar o dia trocando de roupa e que eu faço as escolhas dos meus looks desde os 3 anos de idade. Uniforme de escola já foi uma questão existencial, o que quer dizer que eu sofri muito nos quase 15 anos que eu fui obrigada a vesti-lo.
 
Internet entrou na minha vida e eu fui uma das que foi mordida pelo bichinho desde cedo. Lembro do dia em que o técnico foi instalar uma conexão discada em casa, em 1995, e ficou algum tempo explicando como é que aquilo funcionava. Não demorou tanto porque, apesar da tecnologia nova, a oferta de websites era ínfima. Eu lembro basicamente do portal do UOL e seu famoso bate-papo. Não tinha muito mais o que fazer, apesar de possuirmos nossas contas de e-mail. Quem disse que alguém também tinha e que quem tinha usava? Naquela época a gente fofocava era por telefone.

 
Não faz muitos anos, surgiram os blogs e consequentemente os blogs de moda.  Eu já torci o nariz para blogueira que fica tirando foto da roupa todo dia (ainda acho uma grande parte meio tosca, pra ser sincera), mas depois, pensando bem, acho que foi uma ferramenta importantíssima para a democratização das tendências.
 
É muito bom ver quantas e quantas variações de uso se pode ter de uma mesma peça, de um mesmo estilo. Acho enriquecedor ter à minha disposição imagens criadas por gente espalhada pelo mundo todo, interpretando tendências que antes eram ditadas pela imprensa especializada.
 
No Brasil, ainda acho tudo um pouco caretinha e acho chato que vários blogs sejam quase traduções dos internacionais famosos. Hoje mesmo eu “caí” num que colava os posts do WhoWhatWear, na caruda. Acho feio, acho desnecessário. Moda e comportamento são coisas que são bem mais legais quando observadas e discutidas de maneira local. Acho válido um benchmarking, que afinal, segundo a própria definição “é a busca das melhores práticas na indústria que conduzem ao desempenho superior”, mas vamos parar por aí. Ctrl+C, Ctrl+V é inaceitável em toda e qualquer indústria.

Post publicado originalmente em 17 de outubro de 2011 

2 comentários:

  1. Descobri o seu blog sem querer e desde entao, sempre retorno.
    Uma otima alternativa ao colunismo social nos blogs e tambem ao ctrl c + ctrl v. Parabens :)

    ResponderExcluir